Sociedade

Parlamento recomenda... Carapaus com Arroz Carolino

Por proposta do PCP, aprovada pelos deputados, o Parlamento recomenda ao governo medidas para valorizar o consumo de arroz carolino e pescado de baixo valor comercial como o carapau e a cavala.

Mesmo em cima da hora do almoço, os deputados aprovaram duas recomendações ao governo que incidem sobre o arroz carolino produzido em Portugal e os peixes mais baratos como o carapau, o biqueirão ou a cavala.

A iniciativa partiu do PCP ao lembrar que, por vezes, Portugal não esgota as quotas disponíveis estas espécies apesar de baixo valor comercial.

De acordo com os preços apresentados pela bancada comunista, "na semana de 15 a 19 de maio de 2017 o carapau foi vendido nas lotas do país entre 0,33 cêntimos e 2,84 euros. A cavala foi vendida entre 0,25 e 0,80 cêntimos.

Mesmo apesar das recentes campanhas para promover o consumo de cavala, "o valor médio teve um aumento ligeiro, mas num contexto de redução em quase 40% das capturas 2016 face a 2011", diz o PCP.

O Parlamento recomenda, por isso, ao Governo que avalie as campanhas desenvolvidas pela Docapesca, e avance com "campanhas de valorização e promoção do consumo das espécies de baixo valor comercial e para a quais existem grande possibilidade de captura, como a cavala e o carapau".

Cada português come dezasseis quilos de arroz por ano

O PCP lembra que Portugal é o maior consumidor de arroz da Europa e recomenda também ao governo que "promova o desenvolvimento de campanhas de valorização e estímulo ao consumo de arroz carolino produzido em Portugal"

De acordo com os dados apresentados pelo PCP "em Portugal, a área de produção de arroz é cerca de 30 mil hectares e produzem-se anualmente, em média, 160 mil toneladas de arroz branqueado, o que determina níveis de autossuficiência acima dos 90%" mas persistem os "baixos níveis" de consumo de arroz carolino.

  COMENTÁRIOS