Boa vida

Segredos do Alentejo

A casa Santos Murteira não é um turismo qualquer. Volta sempre quem dispensa as multidões dos pontos turísticos e quem dá valor ao Alentejo mais genuíno. A dois passos de Lisboa, há uma casa que vale pelo valor que mantém há mais de 50 anos e pelas histórias de Eduardo, batizado "das conquilhas". O contraste também se faz com restaurantes diferentes e no Yeatman a diferença faz-se pela excelência do chef Ricardo Costa. Um duas estrelas que manteve a distinção em novembro e percebe-se porquê.

É um spot escondido e um destino procurado por poucos, mas cada vez mais opção para quem se quer livrar das enchentes dos locais habituais de férias. A Casa Santos Murteira localizada no coração do Alentejo, em Alcáçovas tem seis quartos com uma decoração rústica e típica da região alentejana, que faz lembrar as antigas casas senhoriais.

Cada um dos quatros, com o nome das filhas e netas da responsável do espaço, Maria da Encarnação Santos Murteira, desenvolvem-se ao longo de corredores, todos com janelas para o exterior e para pátios interiores da residência. As cozinhas de época, as mobílias, as recordações de outros tempos sugerem uma casa onde viveram avós, filhos e netos, transformada em turismo de habitação, mas que nunca perdeu a carga familiar.

Talvez mais do que portugueses, há sobretudo viajantes belgas, holandeses, dinamarqueses, brasileiros e franceses. A enorme piscina, os jardins escondidos, os pátios no rés-do-chão e no primeiro andar, os recantos, as salas de estar e todos os pormenores que se vão descobrindo, fazem daquela casa, que faz parte da rede Solares de Portugal, um oásis num Alentejo genuíno e ainda pouco alterado.

Conquilhas de sempre

Eduardo dos Santos da cervejaria Eduardo das Conquilhas nasceu a 1 Maio de 1930 na Aldeia do Moninho, entre a Pampilhosa da Serra e Arganil, mas cedo teve que trabalhar, após a morte prematura do seu pai. Foi apenas com oito anos que passou a ser pastor em tempos em que a fome assolava sobretudo as regiões do interior. Eduardo foi pastor vários anos empregado de uma família em Arganil, mas conseguiu vir para Lisboa onde a sua irmã lhe conseguiu um emprego numa carvoaria.

Ainda passou pela tropa, pela Carris como agulheiro, mas conseguiu dinheiro emprestado para abrir o seu negócio. Foi uma antiga empregada que lhe sugeriu o marisco e, desde então, nunca mais parou até hoje. As provações que passou na sua infância viriam a influenciar a escolha dos empregados que ainda hoje estão consigo na casa. Um sobrinho, António e duas cunhadas, o primeiro da sua aldeia e as irmãs da mulher de São Martinho de Anta fazem parte do staff hoje gerido pelo seu filho Ricardo.

A casa, que faz 54 anos a 10 de janeiro do próximo ano, está localizada mesmo em frente à estação de comboios da Parede, em Cascais, tem especialidades que nunca saem da carta: Conquilhas à Eduardo, ameijoas à Bulhão Pato, berbigão, mexilhão, gambas do Algarve, sapateira recheada, lavagante, lagosta e camarão tigre grelhado. No menu também há creme de camarão, bacalhau estalado, carne de porco à alentejana, arroz de marisco, açorda de gambas e bife à Eduardo.

Estrela que brilha

A manutenção das duas estrelas Michelin no restaurante do hotel Yeatman não foi propriamente uma novidade quando foi anunciada no passado dia 21 de novembro, desta vez pela primeira vez na gala lisboeta. Ricardo Costa vinha da Casa da Calçada em Amarante onde conseguiu a sua primeira estrela, mais tarde, já no Yeatman o galardão veio em 2011 e em 2017 a segunda atribuída pelo guia francês.

A cozinha do chef aveirense tornou-se, ao longo dos anos, mais consistente e, atualmente, ganhou o estatuto de referência entre os melhores cozinheiros de Portugal. Mantém o restaurante focado nos clientes, o que de alguma forma poderia coartar a liberdade criativa, mas Ricardo não se queixa, antes pelo contrário, considera que o restaurante está mais sólido que nunca, num momento da sua carreira em que tomou conta de toda a área gastronómica da unidade hoteleira.

No restaurante, com decoração clássica e uma enorme varanda sobre o rio Douro e a Ribeira portuense, o cozinheiro serve vários menus de degustação e serviço a la carte que inclui, entre outras opções, o menu "Experiência Gastronómica" com lírio nitro; lavagante, Bloody Mary, Tupinambo e Molejas; berbigão, xerém, coentros, ovo e presunto; dourada, cataplana, polvo e algas; leitão, jalapeno, coentros e chili, Vitela de Leite, "Spring onion", tupinambo e molho barbecue; mirtilos em diferentes texturas; dióspiros, marinados, gelado de pistacho e creme de açafrão; Magnum Especial The Yeatman; Infusão do Chefe ou Café e Mignardises.

Além do chefe executivo Ricardo Costa, o chefe do restaurante é Pedro Marques, Beatriz Machado como diretora de vinhos e Elisabete Fernandes, "Head Sommelier".

  COMENTÁRIOS