Administração Pública

Sindicatos da Função Pública ameaçam abandonar negociações com o Governo

Os funcionários públicos queixam-se de que o executivo socialista está a "empatar" as negociações e exigem uma contraproposta às suas exigências até ao final do mês.

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública ameaçaram, esta terça-feira, deixar as negociações com o Governo. Os sindicatos exigem respostas às suas exigências até à próxima reunião com a tutela, marcada para o final deste mês.

Em declarações à TSF, Ana Avoila, coordenadora da Frente Comum, anunciou que os sindicatos vão fazer um ultimato ao Governo de António Costa. "Ou apresentam uma contraproposta ou nós vamos ter uma postura totalmente diferente", disse.

"Não somos figuras decorativas", reclamou Ana Avoila, garantindo que, "se os sindicatos da Frente Comum entenderem que estar ali ou não estar é a mesma coisa", abandonarão as negociações com o executivo socialista.

Esta sexta-feira, a Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública organiza uma manifestação nacional, em Lisboa, para exigir aumentos salariais.

A dias deste protesto, Ana Avoila acusa o Governo de não querer discutir as matérias essenciais para os trabalhadores da Função Pública e de marcar reuniões "só para cumprir calendário".

"O Governo está a empatar [as negociações]", criticou a dirigente sindical.