Dia do Livro Português

Um num milhão: o livro em português mais antigo nesta livraria tem 163 anos

Há mais de meio século que se imprimem livros na língua de Camões. Na livraria Chaminé da Mota, no Porto, vasculhamos a edição mais antiga, a que o tempo roubou a capa, mas também a mais valiosa: uma revista, encadernada em pele e com pormenores gravados a ouro, vale seis mil euros.

A 26 de março de 1487, há precisamente 532 anos, era impresso o primeiro livro em Portugal, o "Pentateuco". Dez anos depois, na cidade do Porto, chegava a impressão do primeiro livro escrito em português. Para assinalar a data, a Sociedade Portuguesa de Autores criou o Dia do Livro Português.

PUB

Na Livraria Chaminé da Mota, na Rua das Flores, no Porto, quatro pisos guardam um milhão de livros. O alfarrabista Pedro Chaminé, sobrinho do fundador, procura a edição mais antiga escrita em português. "O mais antigo que encontrei até agora é de 1856, uma 2ª edição da obra 'Lágrimas e Flores', de Joaquim Pinto Ribeiro Júnior. Está muito mal tratado, nem sequer capa tem, mas sendo um livro terá sempre o nosso carinho e respeito até ser vendido".

A livraria está dividida em quatro pisos: livros raros e curiosos; revistas e banda desenhada; literatura portuguesa e primeiras edições. As obras estão catalogadas por tema e autor. Setenta por cento dos livros à venda neste alfarrabista são de escritores portugueses: "Fernando Pessoa continua a ser o mais procurado".

Pedro Chaminé diz que a centenária revista Orpheu é a obra mais cara à venda na livraria. "Está avaliada em 6 mil euros, o primeiro e segundo volume. Neste caso, tem havido uma procura muito grande, sobretudo de brasileiros, mas esta primeira edição está encadernada em pele e com pormenores dourados gravados a ouro. Para nós terá o valor de 6 mil euros".

  COMENTÁRIOS