Transportes

Utentes do Barreiro pedem demissão da administração da Soflusa

A Comissão de Utentes dos Serviços Públicos do Barreiro considera "insuficiente" o reforço de embarcações por parte da Soflusa.

O pedido da Comissão de Utentes do Barreiro surge depois de a Soflusa anunciar que a partir desta sexta-feira estão disponíveis seis navios para assegurar todas as carreiras nas horas de ponta da manhã e da tarde.

Em declarações à agência Lusa, Antonieta Fortunato, da Comissão de Utentes dos Serviços Públicos, pediu a intervenção urgente do Governo e a demissão do conselho de administração da empresa.

"Pedimos a demissão do conselho de administração da Soflusa que nada fez na defesa dos utentes, pedimos também a manutenção da frota que dirige e das condições da mesma. Exigimos que a frota esteja em condições de segurança e navegação e que a sua higiene e limpeza seja uma realidade", sublinhou.

Antonieta Fortunato reclama que o serviço público seja prestado aos utentes que pagam os seus passes e bilhetes para serem "servidos com dignidade".

Antonieta Fortunato lembrou à Lusa que no início de outubro a comissão de utentes teve uma reunião com o ministério do Ambiente e dos Transportes na qual foi dito que o Governo ia tentar resolver a situação o mais rapidamente possível para não ter impacto junto dos utentes.

De acordo com a Comissão de Utentes, os reforços anunciados agora são "claramente insuficientes" para o número de pessoas que usam aquele transporte fluvial.

A frota da transportadora é composta por oito navios, mas apenas quatro estão a funcionar, porque os restantes não reúnem as condições necessárias.

No início da semana, estavam a operar apenas quatro navios, o que causou diversos problemas aos utentes, tendo ocorrido vários desacatos que causaram feridos.

  COMENTÁRIOS