TSF À Mesa

Velha garagem flaviense é hoje tasca moderna

Em Chaves, cidade termal e outrora praça-forte da defesa fronteiriça, uma antiga garagem situada junto à muralha do castelo, foi transformada num espaço de restauração, onde se mantiveram símbolos e objetos de outros tempos.

A origem de Chaves perde-se na poeira dos séculos, mas foi a partir da ocupação romana, com Tito Flávio Vespasiano, que a cidade ganhou maior importância e desenvolvimento. E o gentílico flaviense mercê da ação do governador às ordens de Roma.

As termas, famosas desde então, tornaram-se um fator de atração da cidade com privilegiada localização estratégica. A proximidade da fronteira obrigou, ao longo dos tempos, a cuidados redobrados na defesa do território nacional. De tal modo, que D. Dinis mandou erguer o castelo e a cerca amuralhada, que ainda hoje se afirmam como um ex-líbris monumental do burgo do Alto Tâmega.

Encostada, praticamente, à muralha, e perto da estância termal, a Garage Avenida foi uma das primeiras da cidade; abriu portas em 1932, mas a rápida evolução do mundo automóvel ditou outra vida para a histórica oficina.

A fachada conservou o porte clássico dos anos 30 do século passado; as paredes em pedra e o pé alto mantiveram-se, mas o ramo mudou: o espaço passou a ser ocupado pela Taska das Caldas.

Uma tasca moderna, escrita com K, de ambiente descontraído e mobiliário prático, sem luxos. Há objetos e símbolos de outras décadas que emprestam um ar revivalista ao espaço, de acanhadas dimensões.

Uma agradável esplanada, quando o tempo está de feição, alarga a capacidade do restaurante.

A lista de petiscos, que funcionam às mil maravilhas como entradas, é vasta: tábuas com presunto - de excelente qualidade, sublinhe-se, a fazer jus à fama da região --, e com queijo; salada de orelha, bem temperada; moelas, tenrinhas e saborosas; costelinhas; alheira, razoável; cogumelos a merecerem boa nota; pimentos de Padrón, linguiça e ainda camarão e amêijoas.

A ementa é mais reduzida, sendo limitada à sopa de legumes; uma proposta no capítulo de peixe - dourada grelhada - e a um trio de pratos de carne. Uma das opções - costeleta de vitela - apresentou-se a contento: tamanho razoável, boa matéria-prima, saborosa, tenra e trabalho acertado na grelha.

A tradicional posta, servida em meia dose, e peito de frango completam as opções, de algum modo variáveis ao longo dos dias.

Sobremesas habituais.

Garrafeira razoável, com várias referências do Douro.

Serviço marcado pela simpatia, nesta casa que acompanha a onda da nova restauração, Simples e prática, com várias sugestões para partilhar.

Taska das Caldas, em Chaves, cidade termal.

Onde fica:
Localização: R. Joaquim José Delgado 13, 5400-150 Chaves
Telef.: 276 325 016 ; 918 937 088

  COMENTÁRIOS