Ir a Aveiro e apanhar cavacas rijas atiradas do alto da capela

Centenas de pessoas rumam a Aveiro até dia 11 de janeiro para mandar ou apanhar cavacas, que são lançadas do cimo da capela de São Gonçalinho, na zona histórica da cidade, em honra do padroeiro do Bairro de Beira Mar.

As cavacas são uma espécie de pão doce muito rijo. Segundo a tradição, que remonta ao século XVIII, devem ser distribuídas pelos mais necessitados, como pagamento das promessas feitas ao santo.

Este ano, as Festas de São Gonçalinho estão alinhadas com o "Boas Festas em Aveiro" que, entre várias iniciativas de Natal, pretende dar vida a um natal nórdico, que é sobretudo vivido na rua.

Estão preparadas 12 toneladas de cavacas. João Moreira, da Mordomia de São Gonçalinho faz as contas: "a cinquenta cavacas por cada 5 quilos, andaremos na ordem das 120 mil cavacas pelo ar".

E para mandar as cavacas doces há que subir ao alto da Igreja. "Para se subir a essa torre há uma escada que não tem mais que 80 centímetros de largura. As pessoas levam o saco com elas e a escada é em caracol dificultando o acesso".

E cá em baixo, há de tudo para apanhar as cavacas que são lançadas. "O que diz a tradição é que as cavacas abençoadas são as que caem no chão. Mas, normalmente as pessoas tentam apanhá-las, ou com as mãos ou com guarda-chuvas abertos", explica o mordomo.

Na capitania de Aveiro está patente até ao final das festas uma exposição alusiva a São Gonçalinho, com várias peças de arte, mas também outras como cartazes da festa com décadas de história, pratos, livros ou medalhas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de