Operação LEX

Rui Rangel e Fátima Galante suspensos de funções

Medidas de coação dos dois juízes foram conhecidas esta tarde.

Os juízes desembargadores Rui Rangel e Fátima Galante ficam suspensos de funções, determinou esta quarta-feira o Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

As medidas de coação no âmbito da Operação Lex foram anunciadas esta tarde, sendo que Rui Rangel fica ainda sujeito a proibição de sair do país sem autorização prévia, proibição de contactos, e Fátima Galante a proibição de contactos.

Os arguidos estão também sujeitos às obrigações decorrentes do termo de identidade e residência, revela uma nota enviada à comunicação social da Procuradoria-Geral da República.

Neste inquérito investigam-se suspeitas de crimes de tráfico de influência, de corrupção/recebimento indevido de vantagem, de branqueamento e de fraude fiscal.

Além de Rui Rangel e de Fátima Galante, a Operação Lex tem 13 arguidos, entre os quais o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, o vice-presidente do clube Fernando Tavares e o ex-presidente da Federação Portuguesa de Futebol João Rodrigues.

Cinco dos arguidos que se encontravam detidos já foram ouvidos no Supremo Tribunal de Justiça, tendo saído todos em liberdade, e um deles pagou uma caução de 25.000 euros.

Na operação, desencadeada a 30 de janeiro, foram realizadas 33 buscas, das quais 20 domiciliárias, nomeadamente ao Sport Lisboa e Benfica, às casas de Luís Filipe Vieira e dos dois juízes e a três escritórios de advogados.