Neto de Moura admite pedir, de novo, para não julgar violência doméstica

"Qualquer acórdão que faça no âmbito deste tipo de crime será escrutinado pela sociedade civil e de certa forma isso é uma interferência no princípio da independência dos juízes"

Neto de Moura admite voltar a pedir para não julgar mais casos de violência doméstica. A informação é adiantada à TSF pelo advogado do juiz que explica que essa é mesmo uma forte hipótese tendo em conta o ambiente que se tem gerado à volta das decisões que este tem tomado sobre este tipo de crimes.

O primeiro pedido do género foi feito por Neto de Moura ao Supremo Tribunal de Justiça em 2018, depois das primeiras decisões polémicas, que já tinham sido muito criticadas, mas a pretensão foi recusada (como foi inicialmente noticiado pelo Público ).

Agora, depois de uma nova decisão polémica, Ricardo Serrano Vieira, o advogado, diz que "temos de respeitar a decisão do Supremo, mas não deixa de ter sido colocado o senhor juiz desembargado numa situação algo desconfortável".

O representante de Neto de Moura diz mesmo que é muito provável, do que conhece deste juiz, que ele volte a pedir para não julgar um caso de violência doméstica que lhe chegue no futuro às mãos.

Neto de Moura estava e continua a estar convencido que todas as decisões que tome na Relação do Porto relacionadas com violência doméstica podem ser atacadas, sejam elas a favor do alegado agressor ou contra a alegada vítima.

"Já sabemos que neste momento qualquer acórdão que o senhor juiz faça no âmbito deste tipo de crime será escrutinado pela sociedade civil e de certa forma isso é uma interferência no princípio da independência dos juízes", conclui Ricardo Serrano Vieira.

LEIA MAIS:

- Neto de Moura quis deixar de julgar casos de violência doméstica. Supremo não aceitou

- Juiz Neto de Moura vai processar deputados, humoristas e comentadores que o ofenderam

- "Para a semana fazemos mais." Humoristas e políticos respondem a Neto de Moura

- "Não me admira que Neto de Moura conviva muito mal com a liberdade de expressão"

- Ricardo Araújo Pereira responde a processo com jogo para "salvar" Neto de Moura

- "Se Neto de Moura não se sentisse ofendido eu não estava a fazer bem o meu trabalho"

Esta manhã, Bruno Nogueira e João Quadros responderam "em sede própria" ao juiz.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de