Mais um lince-ibérico morto. Desta vez foi uma fêmea, encontrada em Mértola

Espécie é uma das mais ameaçadas do mundo. Animal tinha sido libertado há nove meses e foi encontrado em avançado estado de decomposição, no Parque Natural do Vale do Guadiana.

A fêmea Opala, uma jovem nascida em 2017, no Centro de Reprodução de La Olivilla, na Andaluzia, em Espanha, foi libertada, em março do ano passado, no núcleo populacional de lince-ibérico do Vale do Guadiana. Tinha sido detetada, pela última vez em setembro de 2018, aparentando ter estabelecido um território na zona em que agora foi encontrada.

Agora, foi encontrada já sem vida e em adiantado estado de composição. A GNR está a investigar, mas as causas da morte ainda não são conhecidas.

Segundo o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, o Vale do Guadiana conta com 11 fêmeas territoriais reprodutoras e 45 crias já nascidas na natureza. Os animais são acompanhados por telemetria e por foto-armadilhagem, o que permite identificação individual de todos os exemplares.

A reintrodução de lince ibérico foi iniciada em 2015, com o objetivo de recuperar a distribuição histórica da espécie, uma das mais ameaçadas do mundo.

A taxa de sobrevivência dos animais reintroduzidos em Portugal é de 72%.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados