Militares também querem discutir com o governo o descongelamento das carreiras

Esta noite, as três associações de militares, sargentos, oficiais e praças emitiram um comunicado conjunto em que falam de um sentimento de enorme desconsideração.

Os militares esperam ser chamados pelo governo para falarem do descongelamento das carreiras, à semelhança do que aconteceu com os professores.

Em nome das três associações, Mário Ramos, presidente da Associação Nacional de Sargentos, disse à TSF que os militares querem ver recuperado todo o tempo de serviço para efeitos de progressão na carreira.

Na próxima quinta-feira, os militares vão realizar uma "carcaçada", como forma de protesto.

Se o governo não responder às expectativas, os militares admitem levar a luta para a rua.

Mário Ramos explica que o congelamento das progressões está a prejudicar os militares na passagem à reserva.

Tal como os professores e os militares, os Oficiais de Justiça também querem o descongelamento das carreiras. O sindicato fala em discriminação e admite avançar com uma greve caso o governo não dê rapidamente uma resposta positiva, como explica o dirigente sindical Carlos Almeida.

O sindicato dos Oficiais de Justiça quer ver a carreira descongelada já no dia 1 de janeiro de 2018.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de