"Muitas estradas nacionais foram entregues às câmaras municipais em más condições"

Estradas nacionais são transferidas para a alçada das autarquias, mas dinheiro não. A Associação Nacional de Municípios Portugueses considera que a falta de investimento nas estradas se prolonga há muitos anos.

A Associação Nacional de Municípios Portugueses tece críticas à desclassificação das antigas estradas nacionais, que têm sido passadas para a alçada dos municípios sem quaisquer contrapartidas.

Na sequência da tragédia do abatimento de uma estrada em Borba , esta segunda-feira, que causou pelo menos dois mortos e quatro desaparecidos, o vice-presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses, Ribau Esteves, comentou o modo como a tarefa da requalificação das estradas tem sido transferida para as autarquias.

Em declarações à TSF, Ribau Esteves reconheceu é da responsabilidade de cada câmara municipal ter o cadastro das estradas do município e planos de investimento para as mesmas.

"Obviamente, consoante a capacidade financeira que têm, vão investindo mais ou menos para manter a qualidade da rede viária", disse o autarca.

Ribau Esteves lembra que "muitas estradas nacionais foram desclassificadas e entregues às câmaras municipais em más condições", que as receberam "sem capacidade para fazer os enormes investimentos que elas precisavam".

"Há muito tempo que o nível de investimento nas estradas nacionais é muito baixo", constatou.

O também presidente da Câmara Municipal de Aveiro relatou o caso de uma faixa no município que lidera, uma estrada nacional "com problemas muito graves" que foi desclassificada e entregue à autarquia "sem contrapartidas, sem dinheiro, sem nada".

A Associação Nacional de Municípios Portugueses chama, por isso, a atenção das autarquias, do Governo e da Infraestruturas de Portugal para o problema."É necessário um investimento regular na qualificação das estradas, para que baixemos a probabilidade de haver sinistralidade."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de