Música salvou jovem afegã de casamento arranjado

O vídeo, gravado clandestinamente, chamou a atenção de uma ONG, que conseguiu uma bolsa para a jovem estudar numa nos Estados Unidos, onde está desde janeiro.

Uma jovem afegã escapou de um casamento arranjado depois de colocar na Internet um vídeo em que cantava rap, chamando a atenção de uma ONG que lhe conseguiu uma bolsa para estudar nos Estados Unidos, noticia a imprensa brasileira.

A jovem afegã Sonita Alizadeh contou ao site de notícias G1, por e-mail, que aos 10 anos ouviu pela primeira vez que "a sua família negociava o seu casamento com um primo, mas a união não foi adiante".

Ainda criança, a sua família saiu do Afeganistão para fugir dos talibãs e mudou-se para o Irão. Naquele país, por volta dos 15 anos, começou a compor, tendo como influências o rapper Eminem e a cantora iraniana Yas.

Depois de ouvir da sua mãe, pela segunda vez, que se casaria aos 16 anos, gravou um vídeo intitulado "Filhas à venda", com a ajuda de um realizador de cinema que se interessou pela sua história, tendo sido postado posteriormente no YouTube.

O vídeo, gravado clandestinamente, chamou a atenção da organização não-governamental Strongheart, que conseguiu uma bolsa para a jovem estudar numa escola do Utah, nos Estados Unidos, onde está desde janeiro.

Sonita disse ao G1 que não guarda ressentimentos das decisões da sua mãe.

"Eu sei que não é culpa dela. Estava a seguir uma tradição e fazer o que era esperado. Também sentiu que precisava de dinheiro e eu entendo isso. Mas, finalmente, ela escutou-me e agora ela vê o meu valor e apoia-me. Isso é muito forte da parte dela e eu sou grata", declarou.

Sonita prepara-se para gravar a sua música mais conhecida em inglês e novas canções sobre o direito das mulheres nas duas línguas. A amizade com o realizador de cinema rendeu um documentário sobre sua vida no Irão, que estreia em novembro na Europa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de