O cabaz que veio substituir as cantinas sociais. Mais de 80 mil já receberam apoio

Cerca de 80 mil pessoas já receberam cabazes alimentares, desde que o programa foi lançado, em novembro de 2017. Os dados são conhecidos no dia em que se realiza o encontro sobre o Fundo Europeu de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas.

As cantinas sociais deram lugar aos cabazes alimentares, em novembro de 2017. Desde então, esta forma de ajuda já chegou a cerca de 80 mil pessoas.

Em entrevista à TSF, a secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, explica que a distribuição dos cabazes compete às mais de 600 instituições particulares de solidariedade social (IPSS) envolvidas no programa.

"Por mês, são mais de 50 mil destinatários que recebem este apoio alimentar", adianta a secretária de Estado.

Esta ajuda permite que as famílias possam "reduzir os níveis de privação noutros bens essenciais, como o pagamento de despesas de água e eletricidade". Cláudia Joaquim nota que 72% dos destinatários dos cabazes afirma que estes lhes permitem pagar atempadamente essas despesas, 53% indica que o apoio alimentar ajuda-os a conseguir pagar a tempo a renda da casa, e 43% diz que, ao receber o cabaz, consegue juntar dinheiro para comprar os medicamentos de que necessita.

Um recente questionário feito aos beneficiários deste programa revelou que os cidadãos gostariam de contar com produtos diferentes nos cabazes.

A pensar nestes pedidos, foram feitas algumas mudanças no menu. No novo cabaz, há agora menos vegetais congelados, a cavala veio juntar-se ao atum e à sardinha, e as tostas e a bolacha Maria fazem companhia aos cereais para o pequeno-almoço.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados