O Porto já tem Fruta Feia

A cooperativa Fruta Feia, de combate ao desperdício alimentar, iniciou um projeto na cidade do Porto. Nos últimos dois anos, evitou o desperdício de mais de 270 toneladas de frutas e legumes.

São toneladas de frutas e hortícolas que não podem ser vendidas nos supermercados e que iriam acabar no lixo, mas que são vendidas a um preço mais baixo.

Ainda não eram 5 da tarde e à porta da Cooperativa Povo Portuense, já havia uma fila de espera. Os cabazes com a Fruta Feia já estão alinhados no chão. São cerca de 750 quilos de produtos que, manhã bem cedo, foram recolhidos junto de vários produtores da região norte.

O tomate e o morango vieram de Laúndos, o limão e a alface de Gondomar, a maçã de Lamego, as favas e a couve coração de Vila do Conde", explica Filipa Almeida, uma das responsáveis.

O projeto arrancou em Lisboa, em 2013, e agora chegou ao Porto onde já tem cerca de 200 associados. O objetivo é combater o desperdício alimentar, diz Luís Alves. "Na semana anterior evitamos cerca de 500 kg de frutas e hortícolas que iam para comida de animais ou para o lixo".

São frutas ou legumes demasiado pequenos, grandes ou disformes para estarem numa prateleira de supermercado.

Dina Marques aplaude o projeto. "Muitos destes produtos seriam rejeitados e é uma boa forma de apoiar produtores locais". Carla Simões sublinha o paladar da fruta feia. "São produtos que posso usar, são saborosos e temos que aproveitar a um custo mais baixo, é uma mais-valia".

O conteúdo muda de semana para semana. Quem quiser juntar-se ao projeto, só precisa inscrever-se no site da fruta feia.

Por enquanto há um ponto de entrega da fruta feia no Porto, na Cooperativa Povo Portuense. As entregas realizam-se à quarta-feira, entre as 17:00 e as 21:00.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados