Obesidade já não é doença exclusiva dos países ricos

À medida que se combate a subnutrição (um relatório da FAO diz que os preços dos alimentos estabilizaram), surgem novas doenças nos países em desenvolvimento.

A era dos preços altos nos alimentos provavelmente acabou. É o que indicam as Perspetivas Agrícolas para o período entre 2016 e 2025, um relatório da FAO e da OCDE que foi apresentado esta segunda-feira em Roma. O facto é positivo para Helder Muteia, representante da FAO em Portugal. Ele considera que esse facto ajuda a combater a subnutrição mas sublinha que está a surgir outro problema nos países em desenvolvimento: a obesidade.

Há cerca de 6 anos houve um pico na alta dos preços dos alimentos. Helder Muteia, representante da FAO em Portugal e nos PALOP, vê com alívio o facto de agora haver mais estabilidade nesse aspeto: "A alta volatilidade de preços em 2010 empurrou cerca de 44 milhões de pessoas da condição de pobres para a condição de extremamente pobres. Este problema fica de certa forma controlado, mas temos outros desafios".

À medida que se resolve um problema, surge logo outro. "Temos um índice de urbanização muito elevado e isso traz mudanças de hábitos de consumo, o que traz problemas no acesso aos alimentos e sua utilização, ou seja, como compor uma dieta saudável num contexto urbano, em que as pessoas procuram economizar recursos e tempo", frisa Helder Muteia.

O representante da Organização das NU para a Alimentação e a Agricultura sublinha que nos países em desenvolvimento a urbanização faz-se de forma abrupta e desorganizada. Enquanto se resolvem problemas de subnutrição surgem problemas de má nutrição, que "cria um conjunto de vulnerabilidades a doenças: começa pela anemia e depois gera deficiências imunitárias enormes, que podem levar a um conjunto vasto de doenças".

Por outro lado, sublinha, "leva à obesidade também nos países em desenvolvimento". Ou seja, aquilo que era um problema apenas dos países desenvolvidos está a tornar-se também um foco de preocupação da FAO nos países em desenvolvimento

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de