Ryanair: passageiros com voos cancelados não estão a receber indemnizações

A DECO afirma que os passageiros com voos cancelados têm direito a uma indemnização. A associação quer reunir de urgência com a ANAC.

A Ryanair vai suprimir mais oito voos, no aeroporto Sá Carneiro, no Porto, esta segunda-feira. Em Portugal, foram já 27 os voos cancelados desde sábado. A empresa justifica os cancelamentos com "razões operacionais".

Contactada pela TSF, a empresa garante que a lista completa de voos cancelados até ao final de outubro estará disponível entre hoje e amanhã.

Para já, a Ryanair só divulgou a lista dos voos que vão ser cancelados até à próxima quarta-feira, mas anunciou que vão ser cancelados entre 40 a 50 voos diários até ao final de outubro, num total de cerca de dois mil voos. O objetivo é "melhorar a pontualidade", que diz a empresa, caiu "abaixo de 80%" nas duas primeiras semanas de setembro.

A Ryanair já anunciou que está a preparar-se para pagar cerca de 20 milhões de euros em indemnizações, por causa dos voos cancelados. Mas os passageiros portugueses que foram afetados estão a ter dificuldades em fazer chegar as suas reclamações à companhia aérea, uma vez que são remetidos para a via inglesa da companhia.

A DECO lembra que os passageiros têm o direito a ser informados do cancelamento dos voos com pelo menos sete dias de antecedência, o que, segundo a associação de defesa dos consumidores, não está a acontecer.

À TSF, Paulo Fonseca, coordenador do departamento jurídico da DECO, explica que os passageiros têm direito a ver a sua viagem remarcada ou a ser indemnizados em até 400 euros por viagem cancelada.

"Os consumidores devem reclamar e exigir o pagamento da indemnização a que têm direito, uma vez que não estamos perante uma circunstância extraordinária", afirma Paulo Fonseca. "Estamos perante um cancelamento que decorre do risco da atividade da própria empresa e que a torna responsável pelo pagamento dessa indemnização".

A DECO questiona da ANAC - Autoridade Nacional da Aviação Civil, face ao incumprimento dos regulamentos por parte da Ryanair. A associação revela que vai agendar uma reunião com a ANAC, para saber que sanções vai impor à companhia aérea.

Notícia atualizada às 16h18

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de