Bastonário dos médicos condena "declarações falsas" de representantes dos enfermeiros

Miguel Guimarães acredita que as declarações em causa são "atentatórias da dignidade dos médicos".

O bastonário da Ordem dos Médicos condenou, esta terça-feira, "declarações falsas" dos representantes dos enfermeiros em relação aos médicos, considerando que essas "afirmações irresponsáveis" acabam por criar "um clima de conflitualidade" entre os profissionais.

As afirmações de Miguel Guimarães surgem na sequência de declarações da bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, e da presidente da Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE), Lúcia Leite, que na segunda-feira questionaram que o trabalho dos médicos.

"Um médico no primeiro ano de internato não é um médico" foi uma das afirmações de Ana Rita Cavaco à SIC Notícias, que levou a que a Ordem dos Médicos reagisse, esta terça-feira, em conferência de imprensa.

"Estas declarações são falsas, atentatórias da dignidade dos médicos portugueses e por isso totalmente inaceitáveis", afirmou o bastonário dos médicos.

Miguel Guimarães refutou também as declarações da presidente da ASPE, Lúcia Leite, que em declarações à TVI 24, em que a responsável, entre várias afirmações em que compara o trabalho dos médicos e enfermeiros, acaba por concluir que "um enfermeiro faz exatamente o mesmo".

Para o bastonário, "nada justifica as intervenções da bastonária e da presidente da associação sindical", até porque tentar colocar "enfermeiros e médicos em guerra aberta apenas contribui para agravar a situação complexa que se vive atualmente" no Serviço Nacional de Saúde.

LEIA MAIS SOBRE O CASO DOS ENFERMEIROS:

- Governo anuncia corte de relações com Ordem dos Enfermeiros

- Enfermeiros denunciam Ministério da Saúde à PGR por tentativa de boicote à greve

- O Governo quer mexer na lei da greve?

- Pelo menos 500 cirurgias prioritárias adiadas na primeira paralisação dos enfermeiros

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de