É difícil ser jovem e dormir

No Dia Mundial do Sono é lançada uma campanha de sensibilização sobre crianças e adolescentes. A Associação Portuguesa de Sono diz que dormem cada vez menos e isso reflete-se no rendimento escolar.

Quando toca a campainha para o início das aulas há alunos que ainda estão meio adormecidos. Os especialistas dizem que os apelos aos mais novos e as obrigações dos mais velhos estão a tornar perigosa a gestão do sono.

A pediatra Helena Estevão, que dirige a Associação Portuguesa de Sono, lembra que a vida atual condiciona os pais. "As pessoas estão muito ocupadas, têm muitas horas de trabalho e poucas horas para estar com os filhos. Muitas vezes, quando chegam ao fim do dia a casa, querem estar algum tempo com os filhos".

A pediatra lembra que a vida ocupada dos pais acaba por condicionar o sono das crianças

00:0000:00

Helena Estevão diz que esta impossibilidade de dedicar mais tempo aos mais novos gera nos pais um sentimento de culpabilidade, tornando-os mais permissivos. "Acabam por ser menos firmes naquelas regras que são importantes para a hora de deitar, cedendo muitas vezes aos pedidos das crianças".

Por outro lado, a especialista lembra que hoje em dia há mais estímulos que roubam o sono aos mais novos. "Os adolescentes e mesmo os pré-adolescentes têm uma série de solicitações nomeadamente no que diz respeito ao equipamento eletrónico que atualmente existe. As playstations, o telemóvel, os computadores...". Como consequência acabam por ir muito mais tarde para a cama e têm dificuldade em adormecer.

Helena Estevão diz que as novas tecnologias prejudicam o descanso dos jovens

00:0000:00

Helena Estevão recorda que a falta de sono afeta os resultados na escola. "O que acontece é que os adolescentes nas primeiras horas das aulas estão muito sonolentos e com um rendimento escolar que está muito diminuído porque têm muito menos capacidade de atenção".

O tempo de sono recomendado varia consoante a idade. Na tabela mais recente, a National Sleep Foundation, uma fundação norte-americana que se dedica ao estudo do sono, aconselha:

0-3 meses: 14-17 horas
4-11 meses: 12-15 horas
1-2 anos: 11-14 horas
3-5 anos: 10-13 horas
6-13 anos: 9-11 horas
14-17 anos: 8-10 horas
18-25 anos: 7-9 horas
26-64 anos: 7-9 horas
A partir dos 65 anos: 7-8 horas

Esta sexta-feira é Dia Mundial do Sono. A campanha "um bom sono é um sonho possível" alerta para as necessidades de crianças e adolescentes.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de