Governo não põe de parte recuar na transferência do Infarmed

Ministro da Saúde diz que será preciso "inteligência e humildade " na análise do relatório do grupo de trabalho que avalia a mudança e que é liderado por antigos presidentes do Infarmed.

O ministro da Saúde defende que a transferência do Infarmed (Autoridade Ncional do Medicamento) de Lisboa para o Porto deve avançar, a bem da "descentralização", mas Adalberto Campos Fernandes não coloca de parte a possibilidade de um recuo na intenção manifestada elo Executivo.

Para já, nada é definitivo, até porque, admite o ministro, é preciso olhar com cuidado para o relatório que avalia o impacto dessa mudança: "O Governo admite uma coisa muito simples, que é olhar para as conclusões do grupo de trabalho e tê-las em atenção com inteligência e com humildade", disse, no parlamento, à saída de uma audição na Comissão de Saúde.

É a resposta de Adalberto Campos Fernandes quando questionado sobre um eventual passo atrás por parte do Governo que, sobre os protestos dos trabalhadores - que dizem ter sido apanhados de surpresa -, entende que seriam semelhantes, mesmo em caso de divulgação de um estudo prévio sobre a transferência.

"Se porventura este anúncio tivesse sido feito antes, ou mais tarde, já com algum estudo a suportá-lo, a reação era seguramente a mesma. E, sabem porquê? Porque as pessoas não querem mudar. Há, de facto, uma visão central do país, uma visão egoísta", afirmou.

Questionado pelos jornalistas, Adalberto Campos Fernandes adianta ainda que, depois do Infarmed, outras agências e organismos públicos também podem vir a ser transferidos.

"Estamos, com vontade até dos trabalhadores e dirigentes de algumas agências, a equacionar outro tipo de transferências e relocalizações", sublinhou o titular da pasta da saúde.

Durante as declarações, o ministro da Saúde deu ainda conta de que o grupo de trabalho criado pela tutela para avaliar a mudança da Autoridade Nacional do Medicamento para o Porto vai ser liderado por Henrique Luz Rodrigues, ex-presidente do Infarmed, e por Aranda da Silva, fundador e primeiro presidente desta estrutura.

Ministro vai ser ouvido no parlamento sobre transferência do Infarmed

Pouco depois da saída do ministro da Saúde da Assembleia da República, os deputados da Comissão de Saúde aprovaram, por unanimidade, a audição de Adalberto Campos Fernandes sobre a decisão de transferir o Infarmed para o Porto.

O requerimento para audição do ministro da Saúde sobre esta matéria foi apresentado pelo grupo parlamentar do PSD, que solicitou a audição com caráter de urgência para perceber "os fundamentos da decisão governamental".

Além disso, os social-democratas querem que Governo envie à comissão parlamentar "todos os documentos oficiais que tenham eventualmente sustentado a referida decisão e, designadamente, que evidenciem que a mesma foi tomada em data anterior à candidatura do Porto ao acolhimento da sede da Agência Europeia de Medicamentos (EMA)".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de