Greve de enfermeiros ameaça parar consultas e cirurgias

Enfermeiros dizem que faltam milhares de profissionais no Serviço Nacional de Saúde.

A greve desta quinta e sexta-feira dos enfermeiros arrisca-se a adiar muitas consultas e cirurgias. O objetivo do protesto é exigir a contratação de 1.500 enfermeiros para o Serviço Nacional de Saúde, contra os baixos salários e pelo descongelamento das carreiras.

A longa lista de reivindicações antigas leva a bastonária da Ordem dos Enfermeiros, que se juntou ao protesto, a esperar uma forte adesão.

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses também aguarda uma forte adesão com impacto em muitas consultas e cirurgias.

A sindicalista Guadalupe Simões afirma, no entanto, que fora dos dias de greve já há muitas cirurgias e consultas adiadas por falta de enfermeiros.

A Ordem dos Enfermeiros sublinha que o descontentamento entre a classe é grande e a maioria dos enfermeiros quer fazer ainda mais dias de greve se nada mudar nas negociações com o Ministério da Saúde.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de