Saúde

Enfarte do miocárdio. Portugueses demoram duas horas a pedir ajuda

O estudo do projeto europeu "Stent, Salvar uma Vida" revela que os portugueses estão mais informados sobre as doenças coronárias, mas ainda estão longe de reagir como devem.

Cerca de 90% dos inquiridos sabe que o enfarte de miocárdio pode ser provocado pela obesidade e que pode ser prevenido com uma vida mais ativa e alimentação saudável. Mesmo assim, acaba por não praticar esses hábitos preventivos.

Hélder Pereira, coordenador do estudo e diretor do serviço de Cardiologia do Hospital Garcia de Orta, em Almada, revela que mesmo na identificação da situação, a reação ainda é demorada. "As pessoas continuam a demorar tempo e a não reconhecer a situação como grave.

O estudo do projeto europeu "Stent, Salvar uma Vida" revela que apenas 38% dos portugueses chamariam o INEM perante sinais de um enfarte, e em média, demoram duas horas a pedir ajuda por telefone.

Apesar de tudo, o número de casos de enfarte de miocárdio tem diminuído nos últimos anos, embora existam zonas de risc, que suscitam alguma preocupação.

É o caso do aumento do número de casos de diabetes e das mulheres jovens que fumam.

Esta quarta-feira assinala-se p Dia Nacional do Doente Coronário. A tendência é para uma diminuição, mas as doenças cardiovasculares continuam a ser a principal causa de morte em Portugal.

  COMENTÁRIOS