Vitimas devem quebrar tabu da negligência médica

Associação criada no início deste ano tem este sábado, a primeira apresentação pública. Casos denunciados podem ser uma pequena amostra da realidade.

PorNuno Domingues
©  Direitos Reservados

As vítimas mortais de negligência médica em Portugal poderão variar entre 1300 e 2900, de acordo com estimativas da Associação de Vítimas de Negligência Médica.

A Neglimed é apresentada este sábado, na Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais. Na Manhã TSF, a presidente e fundadora desta associação, disse que os casos que são tornados públicos, são apenas uma ponta do icebergue.

Ouça na íntegra a entrevista de Elizabete Carvalho na Manhã TSF

Your browser doesn’t support HTML5 audio

Elisabete Carvalho, acrescentou que são necessárias mudanças na legislação para acelerar os processos.

A psicóloga, que se apresenta como vítima de negligência médica, depois de ter corrido risco de vida em 2010 devido a uma septicemia, quer mostrar o caminho para outras vítimas. Diz que no mínimo são precisos 2 mil euros para iniciar um processo, e há falta de advogados especializado na área da saúde.

A Neglimed está a contar com a ajuda do Centro de Direito Biomédico da Universidade de Coimbra.
A apresentação pública da associação acontece este sábado, às 11 horas, durante o "Encontro sobre Responsabilidade Médica, Erro em Saúde e Direito dos Pacientes", na Casa das Histórias Paula Rêgo.

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG