E a proteína? Sete mitos sobre o vegetarianismo

A alimentação vegetariana é mais cara? Os vegetarianos têm mais probabilidade de ficarem anémicos? É mais difícil ganhar massa muscular numa alimentação vegetariana? A TSF esclarece estas e outras questões no Dia Mundial do Vegetarianismo.

Se é vegetariano provavelmente já lhe disseram que vai ficar anémico, gastar imenso dinheiro na alimentação e comer a mesma coisa todos os dias. No Dia Mundial do Vegetarianismo, a TSF decidiu desmistificar estas e outras ideias para que nunca mais tenha que responder à pergunta "Onde é que vai buscar a proteína?"

Para desconstruir os preconceitos associados à dieta vegetariana, falámos com a nutricionista vegetariana Sandra Silva, que colaborou com a Direção-Geral de Saúde na criação de manuais práticos como o documento "Linhas de Orientação para uma Alimentação Vegetariana Saudável" , e com a nutricionista Teresa Carvalho, da Associação Portuguesa de Nutrição.

Mito #1: Os vegetarianos não consomem proteína suficiente

Sandra Silva é perentória: "A proteína não é nenhum problema numa alimentação vegetariana".

A nutricionista explica que muito fácil atingir as necessidades proteicas com uma alimentação vegetariana, quer ela seja ovo-lacto vegetariana (quando se consomem ovos e leite) ou vegetariana estrita (quando não há ingestão de nenhum alimento de origem animal)"e acrescenta que a maior parte das pessoas consome, inclusive, "o dobro das proteínas em relação àquilo que necessita".

Ainda assim, a nutricionista Teresa Carvalho aconselha a combinar alimentos "como os cereais integrais e os pseudocereais (como o trigo sarraceno) com fontes de proteína de origem vegetal, nomeadamente as leguminosas como o grão, o feijão, as lentilhas, as ervilhas e os derivados das mesmas, como é o caso do tofu."

Mito #2: É mais difícil aumentar a massa muscular numa dieta vegetariana

Desde que a alimentação seja completa e equilibrada e o treino seja bem orientado, é possível aumentar a massa muscular, seguindo uma alimentação vegetariana, garante Sandra Silva.

A nutricionista e autora do blog "O vegetariano" sublinha que "se a ingestão alimentar, no seu todo, e a ingestão proteica, em particular, estiverem adequadas e se o treino for adequado o aumento da massa muscular e o rendimento desportivo vão ser os mesmos que numa alimentação convencional."

Mito #3: A alimentação vegetariana é mais saudável

Eliminar os alimentos de origem animal do prato não chega para perder peso e ganhar saúde. Se a fruta e os vegetais são importantes para um corpo saudável, outros alimentos - ainda que sejam vegetarianos - podem prejudicar o bom funcionamento do organismo.

"Numa alimentação vegetariana, muitas vezes,nós temos disponíveis alimentos como os fritos, os folhados ou outros alimentos processados que - tanto na alimentação vegetariana como na alimentação convencional - não cabem dentro do conceito de uma alimentação saudável", ressalva Teresa Carvalho.

Ainda assim, a nutricionista sublinha que é possível ser saudável numa dieta vegetariana se as pessoas optarem por alimentos frescos e evitarem os processados: "Este tipo de alimentação promove o consumo de hortofrutícolas que são fontes alimentares muito importantes para a nossa saúde, uma vez que nos dão minerais e vitaminas muito importantes para o bom funcionamento do organismo."

Mito #4: Todos os vegetarianos têm que tomar suplementos de vitamina B12

Tomar vitamina B12 em suplementos é obrigatório numa alimentação vegetariana? Sandra Silva garante que não. A nutricionista defende que as pessoas podem optar por consumir alimentos enriquecidos com esta vitamina tão importante para evitar problemas físicos e mentais como a fadiga, a depressão e danos nos nervos.

Sandra Silva deixa ainda o alerta: Os suplementos alimentares não devem ser tomados sem orientação médica.

"Aquilo que realmente é uma boa ideia é as pessoas fazerem análises antes de tomar qualquer suplemento e aconselharem-se com um médico ou com um nutricionista sobre qual seria a dosagem mais adequada, consoante o resultado das análises."

Mito #5: As pessoas vegetarianas são mais propensas a ter anemia

Muitas pessoas associam o consumo de ferro a ingestão de carne vermelha, mas não é verdade que haja uma maior probabilidade de os vegetarianos terem anemia, desde que ingiram alimentos vegetais ricos em ferro como "as leguminosas, os cereais integrais e os legumes de cor verde escura", diz Sandra Silva.

Para que o ferro seja absorvido mais facilmente pelo organismo,Teresa Carvalho aconselha que se ingira, juntamente com os alimentos vegetais ricos em ferro, alimentos ricos em vitamina C e que se evite beber café e chá à refeição.

Mito #6: Os pratos vegetarianos são monótonos e repetitivos

"Muitas vezes associa-se a alimentação vegetariana a uma alimentação muito monótona, mas isso não é verdade", assegura Teresa Carvalho, que acredita, inclusive, que este tipo de dieta pode até ser mais variado.

"Uma alimentação vegetariana pode e geralmente é uma alimentação que não promove a monotonia, porque existe um vasto leque de hortofrutícolas e de leguminosas e de cereais integrais que permitem que haja uma grande combinação de sabores, de texturas e esta alimentação pode ser até menos monótona."

Mito #7: Comer vegetariano é mais caro

A ideia de que a alimentação vegetariana é só para ricos não podia estar mais longe da verdade.Teresa Carvalho defende que "a alimentação vegetariana não tem que ser necessariamente mais cara, principalmente se primar pelo consumo de alimentos que sejam locais e da época."

A nutricionista explica que, muitas vezes, "a s pessoas também pensam que vão gastar mais dinheiro em produtos alternativos à carne, como o tofu e o seitan, mas esses produtos, na verdade, custam à voltam de dois euros e qualquer coisa e não têm que ser a base da alimentação."

Além disso, a especialista em nutrição adianta que, hoje em dia, a oferta de produtos vegetarianos tem vindo a ganhar um lugar de destaque nos "supermercados, hipermercados e restaurantes."

Saiba mais sobre a alimentação vegetariana aqui.

Continuar a ler