Centro Hospitalar Tondela-Viseu

Gripe restringe visitas no hospital de Viseu. Diretora clínica pede compreensão

Será permitida apenas a presença de uma visita e de um acompanhante por cada doente e por cada turno.

O Centro Hospitalar Tondela Viseu (CHTV) anunciou esta sexta-feira que, devido ao aumento do número de casos de gripe, vai restringir as visitas aos doentes internados e reforçar as medidas de controlo da infeção.

PUB

À TSF, a diretora clínica do centro hospitalar explica que o horário das visitas vai manter-se, mas será permitida apenas a presença de uma visita e de um acompanhante por cada doente e por cada turno. Para fazer estas visitas, vai ser obrigatório o uso de máscaras de proteção. Estas medidas bão manter-se ainda na próxima segunda-feira.

"Na segunda-feira, todos os doentes que entrarem no hospital para virem à consulta, para fazerem tratamentos em hospitais de dia, para fazerem hemodiálise, ou para virem ser internados, terão que usar uma máscara a partir do momento em que entram no hospital. Não queríamos que as pessoas ficassem em pânico, até porque os casos de gripe que temos tido são relativamente leves. O problema é que temos que parar este ciclo de perpetuação da gripe de alguma forma, porque senão depois se tivermos os profissionais todos infetados, também não temos ninguém que trate dos doentes", relembrou a diretora clínica do hospital, Helena Pinho.

É precisamente na situação dos profissionais que está um dos maiores problemas, visto que já são muitos os casos de gripe entre profissionais e doentes internados. Alguns deles contraíriam mesmo a gripe já no hospital.

"Neste momento, temos uma série de doentes internados que entraram pela Urgência - com critérios de internamento - que estão em duas enfermarias. O problema é que temos já de quarentena toda a enfermaria de Gastro, que são mais 26 doentes, e aí tivemos 11 enfermeiros e quatro médicos com gripe. Temos também já sete casos na enfermaria de Cardiologia. Já tínhamos na Psiquiatria, que também já esteve em plano de contingência e agora temos lá mais dois casos. Não podemos estar a correr riscos", reforça Helena Pinho.

Já houve mesmo situações de doentes que tinham cirurgias marcadas e que tiveram de ser canceladas porque contraíram gripe depois de terem dado entrada no hospital.

Dados estes condicionalismos, a diretora clínica deste centro hospitalar pede a compreensão.dos utentes. "As pessoas vão ter de entender que é para defesa de toda a gente, incluindo dos doentes que já estão internados no hospital com outras doenças e que já estão fragilizados. Não podem, ainda por cima disso, ter uma gripe A associada. Doentes já eles estão, não precisam de ficar mais", lembrou.

As máscaras de proteção a utilizar pelos visitantes serão disponibilizadas gratuitamente no átrio do hospital. Já na quarta-feira, em conferência de imprensa, a diretora clínica do CHTV, Helena Pinho, tinha pedido às pessoas afetadas pela gripe para não visitarem os doentes no hospital, de modo a não os contagiar.

"Nesta casa não há controlo efetivo de visitas e, neste momento, temos tido casos de doentes que estão internados há vários dias que vieram a ter gripe e cuja fonte provável são as próprias visitas", afirmou nesse dia.

Segundo a responsável, apesar de o CHTV ter feito cartazes para sensibilizar as pessoas para esta situação, as visitas de pessoas com gripe continuam a ser recorrentes.

No mesmo dia, Filipa Almeida, adjunta da direção clínica e responsável pela Comissão de Controlo de Infeção e Resistência dos Antibióticos, disse que estavam 41 doentes internados com gripe A.

"Este ano há uma alteração em relação ao ano anterior, em que circulava concomitantemente o vírus influenza B, que este ano não tem sido responsável por internamentos", explicou.

O "pico" do número de internamentos por gripe ocorreu no final da semana passada, com 52 doentes internados.

  COMENTÁRIOS