Ordem dos Médicos quer levar ministra da Saúde a tribunal pelas falhas no SNS

A Ordem quer que a ministra responda judicialmente se a falta de clínicos puser em risco assistência aos doentes. À TSF, bastonário Miguel Guimarães dá como exemplo a falta de pediatras na urgência do Hospital Garcia da Orta: "Se acontecer alguma coisa a alguma criança, a responsabilidade tem de ser destes senhores."

No dia em que o Fórum Médico reúne os sindicatos e as estruturas do setor, para delinear formas de luta contra os problemas do Serviço Nacional de Saúde (SNS), o bastonário Miguel Guimarães revela à TSF que a Ordem dos Médicos (OM) quer passar a responsabilizar judicialmente a ministra da Saúde, Marta Temido, se a falta de clínicos puser em risco a assistência aos doentes.

"Nós temos de começar a responsabilizar diretamente a ministra pelas insuficiências e insegurança que existem, neste momento, no SNS -responsabilizar publicamente e perante as entidades competentes. É uma matéria que, neste momento, está a ser estudada pelos nossos advogados, caso seja necessário responsabilizar judicialmente", garantiu Miguel Guimarães.

"Repare no problema do serviço de urgência do Hospital Garcia da Orta. A administração do hospital vem dizer que está tudo bem, mas não está tudo bem. Nós temos falado com os médicos que trabalham lá. Não se pode vir publicamente afirmar uma coisa que não é verdade. Se acontecer alguma coisa a alguma criança, a responsabilidade tem de ser destes senhores", apontou.

Numa altura em que os sindicatos admitem avançar para a greve, o bastonário não se pronuncia sobre essa hipótese, mas deixa o aviso: "Antes de uma grande tempestade vem sempre um tempo de acalmia, e os médicos têm estado muito sossegados. É evidente que, na minha opinião, não fazer nada não é solução."

Miguel Guimarães diz que a solução passa por responsabilizar a ministra pelas consequências da falta de investimento no SNS. Além desta proposta, que a OM leva esta quarta-feira ao Fórum Médico, o bastonário promete percorrer os serviços de saúde e denunciar situações que continuam por resolver no SNS.

O bastonário da OM garante que continuam a falar pelo menos 5 mil e 500 médicos no SNS e lamenta que o Governo desvalorize o problema. Miguel Guimarães acusa ainda Marta Temido de estar a destruir o SNS e de usar os médicos como bode expiatório. "É uma coisa que nos irrita, as coisas falham porque o Governo, o ministério da Saúde, não aposta na saúde dos portugueses, e depois quando acontece alguma coisa de mal a responsabilidade é sempre dos médicos."

Questionado sobre o número de queixas e denúncias de clínicos que a OM recebeu no ano passado, Miguel Guimarães revelou que foram mais de 300. A falta de profissionais de saúde, problemas relacionados com falta de limpeza dos serviços, agressões a clínicos, ausência de progressão na carreira, situações de 'burnout', falta de condições de trabalho (equipamentos que não funcionam, sistema informático obsoleto) e o reduzido tempo das consultas foram os casos mais relatados.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de