Sociedade

Um dos maiores hospitais de Lisboa vai ficar sem radiologistas à noite

Diretor da urgência fala numa "má notícia". Ordem dos Médicos diz que fica em causa a saúde de muitos doentes.

Um dos principais hospitais de Lisboa, para onde vão muitos doentes encaminhados de outros hospitais, vai deixar de ter especialistas em radiologia durante a noite, da meia-noite às 8 da manhã, a partir de junho.

A notícia está a ser comunicada pelo diretor do serviço de urgência numa nota interna a que a TSF teve acesso.

Francisco Lucas Matos adianta que foi informado da decisão de passar a ter radiologia no período noturno apenas por telemedicina e que esta é uma "má notícia" para a urgência que vai provavelmente gerar dificuldades, sublinhando que este serviço é "o último recurso para uma parte significativa dos doentes que a ele recorrem".

O presidente da secção regional do sul da Ordem dos Médicos visitou na noite desta quarta-feira o Hospital de São José e falar com os médicos.

À TSF, Alexandre Valentim Lourenço garante que encontrou médicos preocupados e que está em causa a saúde de muitos doentes que não terão acesso imediato a métodos de diagnóstico num hospital que recebe casos muito graves.

É uma situação que vai levar a várias complicações, a vários transtornos e termos de revolver de outros métodos que já não são adequados ao século XXI o tratamento de alguns doentes.

Os médicos estão muito preocupados, não vão abandonar a urgência, a urgência é a essência deste hospital e destes médicos mas estão preocupados na capacidade e na responsabilidade que têm para acudir às populações e às pessoas que aqui vêm com casos muito graves,

Por sua vez, o Sindicato Independente dos Médicos fala num muro de silêncio da parte do Conselho de Administração do Hospital. Ouvido pela TSF, o secretário-geral do SIM, João Paulo Roque da Cunha diz não encontrar explicações para o que se está a passar.