Mais de três mil casos de asma nas crianças portuguesas ligados à poluição dos carros

Os investigadores sugerem a revisão do teto definido pela Organização Mundial de Saúde para a emissão de dióxido de azoto que tem nos carros a gasóleo uma das principais fontes.

Os investigadores estimam que, em Portugal, surjam todos os anos mais de três mil casos de asma nas crianças associada à poluição provocada pelos automóveis, avança o jornal i. O estudo publicado na revista científica "The Lancet Planetary Health" é o primeiro a quantificar o impacto da poluição do ar na doença asmática pediátrica e foi realizado em 194 países.

De acordo com o estudo, 92% dos novos casos de asma pediátrica têm origem em zonas que já cumprem os limites de emissão deste gás.

Uma conclusão que leva os investigadores a sugerir a revisão do teto definido pela Organização Mundial de Saúde para a emissão de dióxido de azoto que tem nos carros a gasóleo uma das principais fontes.

Em todo o mundo, os investigadores concluem que, por ano, surgem quatro milhões de novos casos de asma entre os jovens até 18 anos. Corresponde a cerca de 13% do total de jovens, mas há zonas do globo onde a prevalência da doença é maior, tal como os níveis de poluição detetados: o caso de oito cidades na China, Moscovo e Seul. Por cá, os novos casos de asma entre os jovens chegam aos 40%.

O jornal i falou com a autora principal deste deste estudo, que, no caso de Portugal, estima que todos os anos surjam 3200 novos casos de asma associados à poluição rodoviária.

Para esta estimativa os investigadores cruzaram os indicadores de poluição ambiental, concentrações de dióxido de azoto e incidência de asma na população com menos de 18 anos.

Na leitura destes dados, a investigadora conclui que Portugal até é um dos casos menos problemáticos.

O que podem, afinal, os pais fazer para evitar que os filhos desenvolvam esta doença? Os autores do estudo sugerem que sejam evitadas as zonas de maior tráfego rodoviário, mas lembram que a resolução do problema vai muito além das decisões individuais.

Problemas respiratórios aumentam em Portugal

Rita Gerardo, pneumologista no Hospital de Santa Marta e responsável na Sociedade Portuguesa de Pneumologia confirma que estão a aparecer cada vez mais crianças mas também adultos com esta patologia.

A especialista em asma explica que se pode associar o aparecimento de novos casos à poluição do meio ambiente e não fica surpreendida com o resultado do estudo agora conhecido.

"A incidência da asma nas crianças tem vindo a aumentar. Atualmente, as sociedades científicas relacionadas com a medicina respiratória dão cada vez mais importância aos efeitos da poluição respiratória. Não fico admirada em relação a este estudo", explicou Rita Gerardo.

Outras Notícias

Patrocinado

Apoio de

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de