"Nenhum trabalhador é obrigado a ir de Lisboa para o Porto"

José Abraão, da Fesap, resume aquilo que está previsto na lei, que se aplica ao Infarmed, ao abrigo do diploma da valorização profissional.

O dirigente da Federação de Sindicatos da Administração Pública diz que nenhum trabalhador do Infarmed corre o risco de perder o emprego se não aceitar ser transferido para o Porto em janeiro de 2019, quando a sede for deslocalizada.

"Só irão de Lisboa para o Porto voluntariamente, com o pagamento de incentivos, de fixação e ajudas de custo. Com certeza ficará um serviço em Lisboa, e os trabalhadores serão colocados em serviços de proximidade que nunca poderão ser além do concelho onde está o atual serviço".

José Abraão diz não perceber a decisão do Governo, considerando-a "precipitada e sem sentido". O dirigente defende que devia ter havido uma consulta e uma avaliação. "A sede num lado e os serviços no outro não me parece que vá trazer qualquer poupança. A grande questão é saber quais são os ganhos da mudança do Infarmed de Lisboa para o Porto".

92% dos trabalhadores do Infarmed recusam mudança para o Porto

Um inquérito realizado aos trabalhadores do Infarmed revelou que 92% das pessoas não estão disponíveis para se mudarem de Lisboa para o Porto.

Na tarde de quarta-feira, em plenário, 97% tinham dito não concordar com o anúncio do Governo, identificando cinco riscos que passam pela perda de quadros experientes, dificuldades de coordenação, perda de influência na Europa, de competitividade e de reconhecimento internacional.

A Comissão de Trabalhadores esteve esta tarde com Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde, que terá mostrado solidariedade para com os trabalhadores.

"Dado que 97% dos trabalhadores não concordam com a eventual transferência, esperamos que o Senhor Ministro da Saúde seja consequente com o compromisso assumido na reunião de que não será tomada nenhuma decisão definitiva que ponha em causa a missão do INFARMED e o respeito pela vontade manifestada pelos seus trabalhadores", é revelado no comunicado.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de