Este ano só há 3 helicópteros Kamov para combater incêndios

No ano havia passado havia 6 helicópteros pesados em funcionamento, mas apesar desta redução para metade o Governo diz que o total de meios aéreos é suficiente.

De 2015 para 2016, Portugal perdeu metade da frota de helicópteros pesados Kamov. Um despenhou-se, dois estão avariados e outro foi para manutenção e ainda não está pronto a funcionar.

Neste momento, na prática, Portugal tem 2 Kamov disponíveis. "Dentro de 15 dias" estará concluída a operação de manutenção do terceiro aparelho, afeto a Loulé, e nessa altura estarão três ao serviço, garantiu à TSF o gabinete do secretário de estado da Administração Interna.

Sobre os dois Kamov avariados, o secretário de Estado Jorge Gomes, garante que "já foi discutido em sede de Orçamento de Estado na Assembleia da República" que se iria proceder à sua reparação. No entanto, segundo Jorge Gomes, esses dois helicópteros pesados só estarão prontos para os incêndios no verão de 2017.

Na apresentação do dispositivo de combate aos incêndios, hoje no Algarve, Jorge Gomes considerou que mesmo assim, com avarias e helicópteros pesados desativados não vale a pena abrir novo concurso. "Não há necessidade", garantiu.

Segundo este membro do governo, os 47 meios aéreos existentes são suficientes.

O Ministério Público está a investigar os últimos contratos de aluguer e manutenção dos helicópteros de combate a incêndios florestais mas o secretário de Estado salienta que nada sabe sobre o processo. A situação "merece-nos todo o cuidado e reserva. Compete ao Ministério Público apurar aquilo que entenda", disse.

No dispositivo nacional de combate a incêndios este ano vão estar envolvidos 10 mil operacionais e o investimento será de 70 milhões de euros.

** Notícia atualizada às 18:47 após esclarecimento do gabinete do secretário de Estado de que o helicóptero em manutenção estará pronto em breve, sendo assim 3 e não 2 os Kamov disponíveis para o verão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de