Incêndio em Castelo de Paiva e Arouca mobiliza mais de 250 bombeiros

Não há habitações em risco.

Um incêndio florestal em Castelo de Paiva, próximo de habitações, e que já alastrou para o concelho de Arouca, está a ser combatido por mais de 292 operacionais apoiados por 86 viaturas, segundo a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

À TSF, o comandante dos bombeiros de Castelo de Paiva, Joaquim Rodrigues, explicou que "o incêndio tem um setor dominado, a entrar em fase de rescaldo. Há um segundo setor e a cabeça do incêndio que não estão dominados, ainda estão ativos. Um dos setores já está metido na margem do Rio Paiva, o que está a dificultar imenso a chegada até junto dele para proceder ao combate. Não há casas em risco, só só floresta que está a arder".

Esta aproximação ao rio Paiva pode ser um cenário ambivalente: "Tudo depende do tempo e do vento. O rio pode ser um bom ponto de ancoragem como pode não ser, passando o rio Paiva que é um rio estreito. Se estiver um tempo sereno, conseguiremos segurá-lo, poderá ancorar junto ao rio. Não há essa garantia", explica.

Para já, o vento está "sereno, não há", mas o cenário pode mudar entre as 00h e as 2h, tornando-se "complicado".

As chamas lavram numa zona de eucalipto entre as freguesias de Bairro e Real, nas proximidades da aldeia de Ancia, tendo já entrado no concelho de Arouca.

Notícia atualizada às 22h10.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de