Desapareceram cerca de 50 armas da Direção Nacional da PSP

Informação foi avançada pelo ministério da Administração Interna. Armas foram extraviadas do armazenamento de armas da Direção Nacional da PSP. Já foi aberto inquérito.

O Ministério da Administração Interna (MAI) informou esta quinta-feira, em comunicado, que está a investigar o extravio de cerca de 50 armas de fogo de 9 mm que se encontravam sob alçada do Departamento de Apoio Geral da Direção Nacional da PSP.

Em comunicado, a tutela explica que "na sequência da apreensão de uma arma de fogo da PSP numa operação policial, foi imediatamente aberto um Processo de Inquérito ao armazenamento de armas no Departamento de Apoio Geral da Direção Nacional da PSP".

Foram também instaurados processos disciplinares a dois elementos a PSP, "que foram de imediato suspensos de funções". Os factos foram "participados ao Ministério Público, para efeitos de investigação e apuramento de responsabilidades criminais", adianta o MAI.

O Diário de Notícias, que divulgou inicialmente a notícia, adianta que a investigação foi desencadeada numa primeira fase a nível interno, pela própria PSP, depois de uma das pistolas ter sido apreendida a um criminoso, no decurso de uma operação policial no Porto.

Escreve o jornal que depressa "foi constatado que a Glock pertencia a um lote especial que estava armazenado na Direção Nacional da PSP, a sede da Penha de França" e que mais de meia centena de outras armas não estavam no armeiro.

Continuar a ler