Novos polícias chumbados. Governo pode ter de fechar esquadras

Sindicato diz que por ano há perto de mil polícias a abandonarem a PSP. A entrada de apenas 300 vai levantar um problema de segurança.

O Sindicato Nacional dos Oficiais de Polícia não tem dúvidas que o Governo vai ter, mais tarde ou mais cedo, de fechar esquadras.

É esta a reação do presidente, Henrique Figueiredo, à notícia desta manhã que revela que por "constrangimentos orçamentais" o Ministério das Finanças resolveu chumbar a prometida contratação de 800 novos polícias. O número desceu para apenas 300.

O sindicato garante que a falta de efetivos e o envelhecimento dos polícias é geral em todo o país. Os pedidos de reforma continuarão a ser muito superiores aos números de novos agentes e o governo vai ter mesmo de fechar esquadras.

Henrique Figueiredo diz que "não há milagres" e detalha os números de entradas e saídas na PSP.

00:0000:00

O sindicalista recorda que por ano cerca de mil polícias saem da PSP e com entradas anuais de apenas 300 é impossível manter os mesmos níveis de segurança das populações.

Esta redução na anunciada contratação de 800 polícias surge um dia depois de o comandante da PSP do Porto ter dito que desde 2012 a região perdeu mais de 200 agentes, "o equivalente ao fecho de mais de dez esquadras".

Continuar a ler