MAI espera "descida significativa" de crime violento

Menos roubos por esticão, menos assaltos a casas e menos viaturas roubadas. A ministra da Administração Interna antecipa alguns dos dados da GNR e da PSP para desmentir "clima de insegurança".

Ainda à espera dos números finais do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), relativo ao ano de 2016, Constança Urbano de Sousa sublinha já uma "descida significativa" do crime grave e violento.

A ministra da Administração Interna utilizou dados recentes da GNR e da PSP para rejeitar que exista "um aumento da insegurança".

A ministra da Administração Interna garante que "tudo aponta para uma descida muito significativa, em 2016, da criminalidade geral participada"

00:0000:00

"Eu afirmo de forma perentória que o mesmo não tem correspondência com a realidade dos factos", defendeu Constança Urbano de Sousa, perante os deputados.

"Tudo aponta para uma descida muito significativa, em 2016, da criminalidade geral participada, na ordem dos 7 por cento e da criminalidade violenta e grave, que é aquela que gera maior sentimento de insegurança, na ordem dos 11 por cento"

"Os crimes que mais desceram, foi o roubo por esticão, menos 24% nas cômputo das duas forças; o roubo em residências, quase menos 10 % e o roubo de viaturas, quase menos 6%", adiantou a ministra da Administração Interna, citando dados da GNR e da PSP.

O RASI deve entrar no Parlamento até ao final do mês de março.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de