Trabalhadores do Turismo fartos de baixos salários

Num setor que está a subir em número de turistas e de proveitos, os trabalhadores do Turismo recusam ser o elo mais fraco.

Francisco Figueiredo, dirigente da FESAHT, Federação dos sindicatos da Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal, lembra que que o sector turístico está a melhorar desde 2013 sem que os trabalhadores vejam daí qualquer resultado."2016 foi um ano excelente no turismo e os salários dos trabalhadores continuam congelados.". Segundo este dirigente sindical os patrões "estão a engordar" à custa dos direitos dos trabalhadores.

A jornalista Maria Augusta Casaca ouviu as queixas dos trabalhadores do Turismo

00:0000:00

Na manifestação à porta da cimeira do Turismo, o dirigente da FESAHT destacou ainda a precariedade que existe em restaurantes, pastelarias mas também hotéis de 4 e 5 estrelas. Locais onde há muitos trabalhadores que não são dos quadros."Há hotéis onde os serviços de restauração, limpeza, quartos, são assegurados por trabalhadores de fora, de empresas outsorcing ou então trabalhadores temporários".

A FESHAT apela ao governo para intervir de forma a desbloquear a contratação coletiva, mas também para por termo à precariedade, lembrando que, se Portugal é considerado um destino turístico de qualidade, esse facto deve-se aos trabalhadores do sector.

Números do INE deste mês, referentes a julho, revelam que o sector do turismo aumentou em número de dormidas e que os proveitos totais também subiram cerca de 18%.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados