Uber pede regulação do setor da mobilidade

O ministro do Ambiente disse na terça-feira que a empresa é ilegal. A Uber contesta. Diz que não é um operador de transporte e apela a uma revisão regulatória.

A empresa de serviço de transporte privado reage às declarações do ministro do Ambiente voltando a garantir que cumpre a Lei. Na terça-feira, o ministro João Matos Fernandes, disse que, em Portugal, o transporte de passageiros tem de ser feito por operadores de transporte e que a Uber não tem este estatuto. Rui Bento, o responsável da empresa no país, considera que estas declarações são uma oportunidade para uma revisão regulatória no setor da mobilidade.

À TSF, Rui Bento garantiu que a Uber está "empenhada em manter o diálogo aberto e transparente com os legisladores" e, por isso, pediu reuniões com caráter de urgência ao primeiro-ministro e aos ministros da Economia e do Ambiente, para as quais ainda que está a aguardar resposta.

Rui Bento explica a importância de rever o regime regulatório nos transportes

00:0000:00

Para Rui Bento, o Governo não pode desvalorizar um agente que está a ganhar peso na economia dos transportes em Portugal pela criação de emprego e pela oferta de um serviço que o mercado estava a precisar.

O responsável explica as mais-valias da Uber que considera que não podem ser ignoradas pelo Governo

00:0000:00

A Uber reafirma que não é um operador de transporte, mas sim uma plataforma de tecnologia que liga pessoas a prestadores de serviços de intermediação eletrónica, e lembra que em Portugal não existem regras legais que limitem ou restrinjam estes serviços.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de