Vista Alegre "parte a louça" e arrecada prémio europeu atribuído pelo público

Depois do vencedor escolhido pelo júri, Portugal conseguiu também 'arrecadar' o prémio do público.

O público europeu votou e decidiu. Entre os 21 finalistas do Regiostars Awards, além do já conhecido vencedor do prémio do júri (o projeto português do Centro de Negócios do Fundão) , o público escolheu agraciar o Museu da Vista Alegre, que surgia a concurso na categoria de Herança Cultural.

Todos os anos é assim: há um vencedor eleito pelo júri e o público de entre os 21 finalistas que melhor aplicaram os fundos comunitários, escolhe o projeto que mais lhe interessa ou lhe desperta a curiosidade.

Paulo Soares, administrador da Vista Alegre, "é o termo correto para utilizar, estou aqui com grande emoção a representar os quase dois mil funcionários da empresa, e espero que seja um bom presságio para os 200 anos que estamos quase a fazer".

Faltam seis anos para que a fábrica de Ílhavo, que criou um complexo com teatro, jardim de infância, capela, e até equipa de futebol, complete foi séculos.

Hoje, após as obras, os espaços foram todos recuperados, inclusive a fábrica, abrindo um hotel e um museu desta marca de louça que marca também a história da cerâmica nacional.

"De facto o termo correto é devolver à comunidade, porque também ela tem apoiado a Vista Alegre, e temos muitas famílias a trabalhar lá. Embora a parte internacional não seja desprezível porque recebemos cada vez mais visitas de estrangeiros", refere Paulo Soares.

Este prémio foi atribuído no contexto da Semana Europeia das Cidades e das Regiões. Todos os anos o Regiostars Awards premeia os projetos com a melhor política de coesão social, em cinco categorias.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de