Da palavra à ação? COP27 com acordo "histórico" mas "aquém" na redução de emissões

Da palavra à ação? COP27 com acordo "histórico" mas "aquém" na redução de emissões

Após duas longas semanas, a COP terminou no Egito com dois textos principais, nomeadamente um acordo para a criação de um fundo para as "perdas e danos", mas há um ponto "crucial" que não ficou claro nas conclusões da cimeira do clima: a mitigação e o fim dos combustíveis fósseis. Por isso, Francisco Ferreira, da associação ambientalista Zero, diz que o "principal mote" desta conferência "deveria ter sido a implementação", no entanto, "não chegámos lá" no que toca à redução das emissões.

"Ação", "perdas e danos" e "justiça climática". A COP27 no Egito

"Ação", "perdas e danos" e "justiça climática". A COP27 no Egito

São duas semanas cheias de debates e negociações entre governos, organizações não-governamentais e outros membros da sociedade de civil, com as alterações climáticas e o aquecimento global como protagonistas. Francisco Ferreira, da associação ambientalista Zero, explica que a COP27 será a "conferência da implementação", onde se deverá "passar à ação". O progresso climático, tendo em conta o Acordo de Paris, alcançado em 2015, e as "perdas e danos" dos países que são afetados, por exemplo, por furacões, serão alguns dos temas em cima da mesa no Egito.