"As decisões dos comandantes de bombeiros no terreno devem ser inquestionáveis"

"As decisões dos comandantes de bombeiros no terreno devem ser inquestionáveis"

Presidente da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o brigadeiro-general Duarte da Costa, recusa comparações com o ano de 2017. Depois de Pedrógão, muita coisa foi alterada na autoridade que gere a proteção civil nacional. As comunicações foram melhoradas, há maior capacidade de planeamento e mobilização de meios e resposta mais rápida. Este responsável, entrevistado no programa "Em Alta Voz" da TSF e do Diário de Notícias, avisa ainda para a necessidade da prevenção e alerta para que a transformação que é necessário fazer na floresta demora "décadas" a produzir efeitos. A propósito do julgamento do comandante dos bombeiros de Pedrógão Grande, que dirigiu o combate aos fogos de 2017, Duarte da Costa diz que está "pessoas e institucionalmente" solidário e acrescenta que as decisões tomadas pelos comandantes no teatro de operações "não devem inquestionáveis".