"Transformámos heróis de Abril em alvos da estúpida Covid? Estamos loucos"

"Transformámos heróis de Abril em alvos da estúpida Covid? Estamos loucos"

Bernard-Henri Lévy sente-se furioso por estarmos "num universo paralelo em que nada mais existe para lá da Covid" e assegura que isso é prova de que "estamos a ficar loucos". Em entrevista à TSF, o filósofo francês diz ainda que foi um erro "ouvir demasiado os médicos" e mostra-se surpreendido com o que chama de entusiasmo burguês perante o confinamento. O autor, que acaba de publicar o livro Este Vírus Que Nos Enlouquece diz que a pandemia está a construir modelos de sociedade mais infelizes e menos civilizados.

Não vai, Damares

Não vai, Damares

A ministra brasileira da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos surgiu ontem no Instagram coberta com um véu, uma espécie de grinalda de noiva. A imagem acompanhava um apelo da ministra aos foliões. A ministra Damares Alves, que é também pastora evangélica, pedia aos foliões que se vestissem "com respeito" durante o Carnaval. Três horas depois, a mensagem foi retirada. Mas o nome de Damares Alves já caiu no grande caldeirão da sátira carnavalesca. Os foliões não passaram ao lado das inacreditáveis teorias da ministra em defesa da abstinência sexual dos jovens. Essas teorias mereceram o repúdio firme da Sociedade Brasileira de Pediatria e foram severamente criticadas em artigos científicos publicados recentemente na Lancet. Agora são motivo de chacota nas marchas carnavalescas. O refrão de um samba de carnaval visa directamente a ministra: "Quem já deu, já deu./ Quem não deu, não vai dar mais./ Não vai, Damares,/ Não vai, Damares."