"Dormem à porta do teatro e nunca lá entraram." Mitos sobre pessoas sem-abrigo

"Dormem à porta do Teatro Nacional e nunca lá entraram"

Dormem onde os outros passeiam. Vestem o que os outros já deixaram de vestir. E comem o que, ao cair da noite, os outros lhes vêm dar. Fazem parte da sociedade, mas vivem à parte dela, como uma face da paisagem das cidades que não merece estar nas fotografias das redes sociais. Estão ali porque "não querem trabalhar", nem "sair da rua". Estão ali porque "têm culpa", porque "são todos iguais". Existem, apenas, "à noite e no inverno" e só têm direito a um olhar mais demorado quando as temperaturas descem e se acendem as luzes de Natal. Ideias e mitos sobre as pessoas em situação de sem-abrigo não faltam. Talvez o que falte seja dar-lhes voz.