"No Seminário Maior." A narrativa que faltava ainda

"No Seminário Maior." A narrativa que faltava ainda

O romance "No Seminário Maior", de Joaquim Tenreira Martins, antigo aluno desta instituição religiosa da Guarda, abre diversos cenários vividos, por centenas de jovens nos anos 60. Possuidor de várias licenciaturas, especializou-se em Ciências Políticas e Direito. O autor, de 77 anos, natural de Vale de Espinho, no concelho do Sabugal, trabalhou nas áreas sociais e culturais da Embaixada da Bélgica, desde 1972. Escreveu outros livros, tendo como pano de fundo a problemática da emigração portuguesa, naquele país. Publicou contos da sua infância e textos poéticos "Meu país é a Diáspora", em sonetos, quando a mulher convalescia de uma doença grave.