Rodrigo Tavares

E se for uma lei europeia a salvar a Amazónia?

Leis, medidas provisórias, instruções normativas, emendas constitucionais, decretos, portarias e atos declaratórios. O Brasil emite cerca de 800 textos normativos por dia. É por isso que a cada nova lei aprovada costuma-se aguardar "que pegue", como se costuma dizer por lá. Muitas leis relativas ao meio ambiente pegaram (como a lei Lei 9.605/98 sobre crimes ambientais) enquanto outras ainda não pegaram, como a do Código Florestal (Lei 12.651/12).

Rodrigo Tavares

Porque é que não se discute a política externa portuguesa?

A política orçamental de qualquer governo português, liderado por qualquer partido, é dissecada por inumeráveis analistas e comentadores. O mesmo com saúde, educação e tantas outras políticas públicas. A exceção é a política externa. A comunicação social portuguesa conta com cerca de 10-20 comentadores regulares de temas internacionais, a maioria de perfil generalista que analisa os temas globais que entram na roda da imprensa diária. Mas dificilmente usam o bisturi para dissecar as ações internacionais do próprio país.

Rodrigo Tavares

Quarentena Permanente para Comentadores de Futebol

Com o regresso do futebol aos estádios regressam também os comentadores às televisões. Os segundos precisam dos primeiros, mas os primeiros não precisam dos segundos. E nós também não. Cada um dos 90 minutos do jogo traduzir-se-á em dezenas de horas de comentários, em todos os canais de TV, na rádio, nos jornais. Portugal tem mais jornais diários de futebol do que o Brasil (a pátria de chuteiras), mais programas televisivos de futebol do que a Itália (onde se praticava o harpastum, um dos precursores do futebol) e mais comentadores de futebol do que o Reino Unido (que tem o campeonato nacional mais rentável financeiramente).

Rodrigo Tavares

Admirável Mundo Novo I

A tecnologia encolhe o mundo. Quando em meados da década de 90 começamos a usar o IRC para digitar mensagens para estranhos de outros países, quando no final da década de 90 o telemóvel tornou-nos permanentemente acessíveis ou quando em meados de 2000 começamos a fazer chamadas telefónicas com vídeo pelo Skype, o mundo contraiu-se. Redefine-se o significado de distância como se os novos cartógrafos fossem os nossos filhos cibernéticos e houvesse um novo heliocentrismo centrado na internet.

Rodrigo Tavares

O meu filho herdará um país pior que o meu

As notícias do coronavírus na China são recebidas com mais alarmismo do que qualquer alerta sobre os efeitos das alterações climáticas. Enquanto o vírus mata milhares, o aumento de 1,5º C da temperatura média da Terra, causada pela crise climática, pode matar dezenas de milhões de pessoas. Mas a sociedade continua apática diante do problema. Um zumbido, isolado, pode ser aterrorizador, mas um zumbido, se acompanhado por muitos outros, pode tornar-se uma banalidade. E o debate internacional sobre o meio ambiente tornou-se uma banalidade, na qual participam estadistas, cientistas e adolescentes, sincronizados com a necessidade de se fazer alguma coisa, mas sem que se faça, realmente, nada de verdadeiramente decisivo. São poucos aqueles em todo o mundo, com exceção da comunidade científica e dos seguidores da Greta, que têm sentido de calamidade e de urgência. Em Portugal não é diferente. O cano da pistola está a morder a testa, mas os portugueses ainda não fitam as alterações climáticas como uma ameaça à sua existência.

Rodrigo Tavares

Portugal continua despreparado para enfrentar os fogos florestais

A primeira pessoa a atear um fogo florestal em Portugal foi um italiano com ligações ao Médio Oriente. Chegou de barco pelo Mediterrâneo e atracou no Algarve. Era um homem com pele morena e uma estatura mais baixa que a dos habitantes locais. Foi há 7,5 mil anos. Nessa altura, populações migrantes oriundas da península itálica chegaram à Ibéria para introduzir a prática da agricultura e domesticação de animais e, com isso, gradualmente dominaram os caçadores-coletores que viviam na região. Nesse período, ser agricultor significava dominar a arte do fogo, descoberto há mais de 1 milhão de anos.

Rodrigo Tavares

Temos Bons CEOs em Portugal?

Em Portugal há 1,3 milhões de empresas (dados Pordata ). Dessas, 59 são listadas em bolsa tendo acionistas pulverizados por todo o mundo. Eu, filho de um empresário, há muito reformado, que trabalhou toda a vida no mesmo grupo, uma das joias da indústria portuguesa, cresci a escutá-lo ao telefone. Era uma geração que gostava da clareza da hierarquia, do tradicionalismo dos procedimentos, e da afinidade com o comendador local. Eram poucos os que tinham formação específica em gestão de empresas ou cultura multinacional.

Rodrigo Tavares

Precisamos de avaliar o desempenho dos deputados

O eleitorado já sinalizou. Os partidos já perceberam. O Presidente da República já alertou. A descrença no funcionamento da democracia portuguesa está a começar a atingir níveis inquietantes. São 83 em cada 100 portugueses a não confiar nos partidos ( dados POP - Portal de Opinião Pública ) e 69 eleitores em 100 a não votarem nas últimas eleições Europeias. São números mais pontiagudos do que em quase todos os outros países europeus.