Arquitetura

Academia de arte chinesa está a construir museu desenhado por Siza Vieira

Uma academia de arte de Hangzhou, na costa leste da China, vai construir um museu desenhado pelo arquiteto português Álvaro Siza Vieira, em parceria com o atelier de Carlos Castanheira, disse à Lusa fonte ligada ao projeto.

Esta será a segunda obra de Siza Vieira e Castanheira na China, depois do edifício de escritórios de uma fábrica de produtos químicos de HuaiAn, na província de Jiangsu, que vai ser inaugurada no próximo sábado com a presença dos dois arquitetos portugueses.

O futuro museu, que deverá estar concluído em 2016, tem cerca de 15.000 metros quadrados, «uma área sensivelmente igual à de Serralves», adiantou Siza Vieira.

Trata-se de uma encomenda da China Art Academy de Hangzhou, cuja escola de arquitetura é dirigida por Wang Shu, o único arquiteto chinês galardoado com o Pritzker Prize, em 2012.

«Temos contado com o apoio da equipa de Wang Sho», salientou Carlos Castanheira.

Hangzhou é a capital da província de Zhejiang, uma das mais prósperas da China, pouco maior do que Portugal e cerca de 55 milhões de habitantes.

O museu desenhado por Siza Vieira irá acolher nomeadamente «uma grande coleção» de peças da famosa escola alemã de arte Bauhaus, fundada em 1919 pelo arquiteto Walter Gropius.

O Pritzker Prize, considerado o Nobel da Arquitetura, já foi também atribuído a Siza Vieira, em 1992, e a Eduardo Souto Moura, em 2011, e aos brasileiros Óscar Niemeyer e Paulo Mendes da Rocha, em 1988 e 2006, respetivamente.

Entre os outros arquitetos já distinguidos com o Pritzker Prize figuram I.M.Pei, Frank Gehry, Renzo Piano, Rem Koolhaas, Norman Foster e Tadao Ando.