Cinema

Filme do sueco Roy Andersson vence Leão de Ouro do Festival de Veneza

A atriz italiana Alba Rohrwacher e o ator norte-americano Adam Driver receberam os prémios para melhor atriz e ator, pelo filme «Hungry Hearts».

O filme «A pigeon sat on a branch reflecting on existence», do realizador sueco Roy Andersson, conquistou hoje o Leão de Ouro para melhor filme na 71ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza, anunciou a organização.

A atriz italiana Alba Rohrwacher recebeu a Taça Volpi para a melhor interpretação feminina no filme «Hungry Hearts», do realizador Saverio Costanzo, e o ator norte-americano Adam Driver recebeu a Taça Volpi para melhor interpretação masculina na mesma película.

O Leão de Prata para a melhor realização foi atribuído a Andrei Konchalovski pelo filme «The Postman"s White Nights», e o Grande Prémio do Júri foi para «The Look of Silence», de Joshua Oppenheimer, enquanto o Prémio Especial do Júri foi para «Sivas», de Kaan Müjdeci.

Na cerimónia de entrega dos prémios do festival, em Veneza, o realizador Roy Andersson, cujo trabalho cinematográfico é muito baseado na comédia do absurdo, declarou-se «muito honrado» pela distinção, sobretudo por ser entregue «num país que deu tantos mestres ao cinema».

O filme "A pigeon sat on a branch reflecting on existence" é composto por um conjunto de episódios humorísticos que tentam explorar a condição humana em toda a sua diversidade.

Ainda na secção oficial, o Prémio para Melhor Argumento foi atribuído a Farid Mostafavi, do filme «Ghesseha», e o prémio Marcello Mastroianni para o melhor ator emergente foi para Romain Paul pelo papel em «Le Dernier Coup de Marteau».

O Prémio Luigi de Laurentis Melhor Obra Prima foi atribuído a «Court», de Chaitanya Tamhane, que também conquistou o Prémio para Melhor Filme na secção Horizontes.

Ainda na secção Horizontes, o Prémio Especial do Júri foi para o filme «Belluscone. Una Storia Siciliana», de Franco Maresco, o Prémio Melhor Realizador foi para Naji Abu Nowar, por «Theeb» e o Prémio Melhor Ator para Emir Hadzihafizbegovic, pelo seu papel em «These are the Rules», de Ognjen Svilicic.

Na secção Semana da Crítica o Melhor Filme foi «Flapping in the Middle of Nowhere», de Nguyen Hoàng, o Melhor Argumento foi para Vuk Rsumovic por «No one"s Child», que também ganhou o Prémio do Público.

Na secção Jornada dos Autores, o júri atribuiu o Prémio Melhor Filme a «Retorno a Ítaca», de Laurent Cantet, e o Prémio Fipresci foi para «The Look of Silence», de Joshua Oppenheimer.

O realizador português Manoel de Oliveira, de 105 anos, estreou nesta 71.ª edição do Festival de Veneza o seu novo filme, uma curta-metragem intitulada «O Velho do Restelo», exibida fora de competição.

Manoel de Oliveira - que recebeu um Leão de Ouro de carreira em Veneza, em 2004 - reúne, neste novo filme, num banco de jardim do século XXI, personagens e escritores históricos: Dom Quixote, Luís Vaz de Camões, Teixeira de Pascoaes, Camilo Castelo Branco.

«O Velho do Restelo« estreia-se em Portugal a 11 de dezembro, segundo a produtora O Som e a Fúria.