Sophia de Mello Breyner

Poetisa Sophia de Mello Breyner vai para o Panteão Nacional antes de Eusébio

A TSF apurou que, ainda antes de Eusébio, a poetisa Sophia de Mello Breyner será trasladada para o Panteão Nacional.

Sophia é uma das mais importantes poetisas do século XX em Portugal. Em 99, foi distinguida com o Prémio Camões.

E agora há acordo entre todos os partidos com assento parlamentar para a trasladação para o Panteão Nacional.

A família de Sophia de Mello Breyner confirma que foi contactada por representantes da Assembleia da República.

Miguel Sousa Tavares, o filho da poetisa, diz que se sentiram honrados com a distinção e não levantaram objeções à trasladação do corpo de Sophia para o Panteão Nacional.

Pessoalmente, Miguel Sousa Tavares conta à TSF que preferia que a cerimónia acontecesse no dia 25 de abril.

A dúvida está na data em que a cerimónia pode ocorrer: ou perto de 25 de abril e assim a cerimónia seria incluída na celebração dos 40 anos da Revolução dos Cravos, ou então, a 2 de julho, a data em que se celebram dez anos sobre a morte da poetisa. E é esta a data que é apontada como a mais provável.

Também a filha Maria Sousa Tavares tem opinião semelhante: «Talvez fosse mais simbólico, o 25 de abril, porque ela escreveu o poema mais bonito sobre o 25 abril e começava com 'esta é a madrugada que eu esperava...'. Ela viveu tudo com tanta intensidade que faz sentido. Os dez anos da morte também tem sentido», realça.

O primeiro a avançar com a proposta de trasladação de Sophia de Mello Breyner para o Panteão Nacional foi o escritor e amigo da família José Manuel dos Santos.

Foi ele o primeiro a falar com a familia que não se opôs. Maria Sousa Tavares, filha da poetisa, diz que foi o sublinhar de uma das dimensões da mãe que a fez aderir à ideia, «a intervenção cívica» e a «preocupação social» de Sophia de Mello Breyner.

Foi em 2013 que começaram a surgir os apelos para que os restos mortais de Sophia, conhecida também como "Poetisa de Abril", fossem trasladados para o Panteão Nacional.

O assunto chegou então à Assembleia da República, onde foi tratado em segredo.

Várias fontes confirmam à TSF que os dois maiores partidos se reuniram para debater o tema com Assunção Esteves. A presidente do Parlamento não pôs entraves à trasladação pediu apenas para que houvesse consenso entre todos os grupos parlamentares.

Na última sessão legislativa de 2013, esse acordo foi conseguido. Na semana de Natal, foi a vez da família de Sophia de Mello Breyner se mostrar favorável à trasladação.

Agora, e devido à morte de Eusébio, o processo está como que em pausa, mas várias fontes dentro do parlamento admitem à TSF que até ao final março tudo estará tratado.

  COMENTÁRIOS