Espaço

Buraco negro supermassivo está a sufocar o nascimento de estrelas (vídeo)

A galáxia Messier 106 é uma galáxia em espiral, tal como a nossa Via Láctea, mas com uma diferença: o buraco negro supermassivo no seu centro é tão poderoso que as ondas de choque da sua ação estão a criar dois braços que intercetam a galáxia em ângulo, em vez de se alinharem com o resto do disco.

A galáxia Messier 106, também conhecida como NGC 4258, encontra-se a cerca de 23 milhões de anos-luz da Terra. Os dois braços são visíveis em grande parte do espectro, desde as ondas de rádio até às ondas de luz visível, passando pelos infravermelhos.

PUB

A NASA publicou recentemente esta imagem composta da galáxia, onde foram combinados os dados recolhidos por três telescópios da NASA e por um telescópio da Fundação de Ciência Nacional (NSF) dos EUA.

A azul estão representados os raios-X capturados pelo Chandra X-Ray Observatory, a roxo as ondas de rádio capturadas pelo Karl Janksy Very Large Array do NSF, a amarelo e azul está representado o espectro de luz visível capturado pelo telescópio Hubble, e a vermelho a luz infravermelha capturada pelo telescópio Spitzer.

A imagem em raio-X revela que muito do gás que estaria originalmente no centro da galáxia está a ser aquecido até aos milhões de graus e a ser ejetado para o exterior da galáxia pela ação do buraco negro, formando os dois braços anómalos.

Esta ejeção de gás sufoca o nascimento de novas estrelas, já que o gás é essencial para a sua formação no centro da galáxia. A formação de novas estrelas está a levar dez vezes mais tempo na Messier 106 do que na Via Láctea.