Ciência

Trabalho português sobre doença de Crohn vale prémio nos EUA

Henrique Veiga Fernandes, que liderou uma equipa de 12 investigadores neste trabalho, explicou que o objetivo foi «compreender as causas desta doença particularmente do ponto de vista das células do sistema imunitário».

Um trabalho sobre a doença de Crohn feito por uma equipa do Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Lisboa um prémio atribuído por uma fundação norte-americana.

PUB

Ouvido pela TSF, o líder desta equipa de 12 investigadores disse que o interesse desta equipa é «compreender as causas desta doença particularmente do ponto de vista das células do sistema imunitário».

Henrique Veiga Fernandes explicou que a equipa portuguesa descobriu que «há uma nova molécula expressa por um grupo de células muito específico no intestino que podemos ligar e desligar de uma forma relativamente simples através de fármacos».

«Quando ligamos esse interruptor essas células passam a proteger o intestino de inflamação e agressões», acrescentou o chefe desta equipa, que diz que se o interruptor for desligado o «intestino passará a estar muito mais suscetível a inflamação e infeções».

Para Henrique Veiga Fernandes, esta «será uma forma totalmente nova e ainda não explorada para desenvolver novos tratamentos para doença inflamatória intestinal».