doenças

Casos de malária em Moçambique baixaram 50 por cento em quatro anos

De acordo com a UNICEF, «houve um progresso muito consistente no combate à malária» graças às «boas acções na área da prevenção e tratamento».

A UNICEF indicou que o número de casos de malária caiu «quase 50 por cento» entre 2006 e 2009, tendo o «número de óbitos» descido «63 por cento» nestes quatro anos.

«Houve um progresso muito consistente no combate à malária, a principal causa da mortalidade de crianças com menos de cinco anos. O número de casos baixou muito», acrescentou o chefe da secção de Saúde da Criança e Nutrição da UNICEF.

À agência Lusa, Emanuele Capobianco disse mesmo que «Moçambique está a mover-se numa posição correcta» rumo à eliminação da malária e está a conseguir estes bons resultados graças a «boas acções na área da prevenção e tratamento».

Segundo a UNICEF, em Moçambique registaram-se 1859 mortes por causa da malária contra 5053 em 2006, tendo os casos de doença sido de 3,4 milhões em 2009 contra 6,5 milhões em 2006.

Ainda de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância, a malária mantém-se como a principal causa de morte de crianças em Moçambique, com 33 por cento de casos em menores de cinco anos.

Num comunicado divulgado em Maputo na véspera do Dia Mundial da Malária, a UNICEF diz que cerca de 34 mil crianças morrem anualmente de malária, o que significa uma morte a cada 15 minutos.