Óbito

Emídio Rangel (1947-2014)

Emídio Rangel, fundador da TSF e antigo diretor-geral da SIC e da RTP, morreu quarta-feira, aos 66 anos. O velório realiza-se na quinta-feira, pelas 17h00, na Basílica da Estrela. Sexta-feira, pelas 13h00, realiza-se missa na Basílica da Estrela seguida do funeral no Cemitério dos Olivais, a partir das 15h00.

O jornalista morreu hoje no Hospital Egas Moniz, em Lisboa, onde estava internado há 15 dias, na sequência de um tratamento ao fígado que fez com que os órgãos entrassem em falência.

Nascido a 21 de setembro de 1947 em Sá da Bandeira, atual Lubango, Angola, Emídio Rangel era o mais velho de quatro irmãos, entre os quais o juiz Rui Rangel. Tinha duas filhas.

Emídio Rangel, que estava a lutar contra um cancro na bexiga, dez anos depois de ter vencido um tumor idêntico, tem o seu percurso para sempre ligado à génese da rádio TSF e da televisão SIC.

Licenciado em História, pela Universidade Clássica de Lisboa, chegou a frequentar o curso de Direito, mas os compromissos profissionais acabaram por impedir a sua conclusão.

Foi membro fundador da TSF - Cooperativa de Profissionais de Rádio. O seu nome ficaria para sempre ligado à estação, tendo sido diretor e ascendido a presidente do conselho de administração entre 1992 e 1993.

No seu currículo acumulou experiência como colaborador da BBC em Portugal, correspondente da TDM - Teledifusão de Macau e enquanto gerente da revista Grande Reportagem e da estação de rádio NRJ - Rádio Energia.

Em fevereiro de 1992, Francisco Pinto Balsemão convida-o para um novo desafio profissional, enquanto diretor de informação da SIC. Rangel pede 48 horas para refletir e aceita o convite, assumindo em abril do mesmo ano o cargo. Em setembro de 2001, Emídio Rangel vai para a RTP, onde é diretor-geral até setembro de 2002.

O velório realiza-se na quinta-feira, pelas 17h00, na Basílica da Estrela. Sexta-feira, pelas 13h00, realiza-se missa na Basílica da Estrela seguida do funeral no cemitério dos Olivais, a partir das 15h00.